Oficina Mecânica: Saiba como escolher uma e evitar ser enganado

Vale a pena pesquisar preços e conhecer mais de uma oficina; pedir orçamento detalhado é essencial para comparar o que cada estabelecimento diz

Todo motorista que se preocupa com seu veículo e com a própria segurança leva o carro na oficina mecânica para conserto ou manutenção. Mas é preciso tomar muito cuidado para não ser enganado por esses profissionais.

Muitas vezes, peças são trocadas sem necessidade e valores acima do padrão são cobrados dos consumidores. Para evitar esse tipo de prejuízo, a primeira orientação é procurar uma oficina indicada por algum amigo ou parente que tenha utilizado os serviços e ficaram satisfeitos. Pesquisar preços e conhecer mais de uma oficina também são dicas que valem a pena serem colocadas em prática.

Pedir orçamento

Antes de contratar uma oficina para execução do conserto, o consumidor deve pedir um orçamento formal, que liste todos os serviços que serão executados – mão de obra, peças com defeito e o valor de cada item.

Vale Lembrar que o Portal dos Mecânicos um sistema de pedidos de orçamentos clique aqui para conhecer.

Assim, se peças ou consertos que não faziam parte do contrato forem cobradas, o cliente terá como recorrer para não ter gastos indevidos e desnecessários. O documento também serve para que o consumidor possa comparar o que cada oficina diz em relação ao conserto e/ou manutenção do veículo.

Vale lembrar que ao solicitar um orçamento para conserto, o consumidor não se compromete em aceitá-lo. Antes de contratar o serviço, é importante verificar se o produto não está mais no prazo de garantia. Se ainda estiver, deve-se procurar uma loja autorizada, levando a nota fiscal de compra e a garantia do fornecedor.

No ato da entrega do produto à empresa, é importante exigir um comprovante por escrito no qual devem constar todos os dados, como número de série, cor, modelo, marca, defeito apresentado. Ao retirá-lo da assistência, o consumidor deve ainda testá-lo e pedir nota fiscal dos serviços realizados.

Conhecendo seu carro

Ler o manual do seu veículo e saber quais são as peças do carro ajuda na hora de falar com o mecânico, pois o consumidor se sente mais seguro e as chances de ser enganado são menores. Também é importante, sempre que possível, acompanhar o serviço que será realizado e esclarecer todas as dúvidas.

Peças

Na hora de trocar as peças do veículo, o consumidor pode optar por comprá-las por sua conta ou deixá-las por conta da oficina, o que tende a ser mais caro.

Se o mecânico ficar responsável pela compra, o cliente deve esclarecer se deseja colocar peças originais e novas ou recondicionadas. De acordo com o art. 21 do CDC (Código de Defesa do Consumidor), se o cliente não especificar os itens, as peças devem ser originais. Caso ele queira peças recondicionadas, deve assinar um documento declarando essa opção.

Problemas que não foram solucionados
O trabalho executado tem, independentemente de termo escrito, garantia legal de três meses. Se após a realização dos serviços os problemas não forem sanados, o consumidor terá direito, com base no art. 20 do CDC, à sua re-execução sem custo adicional, à restituição imediata da quantia paga atualizada monetariamente, ou ao abatimento proporcional do preço.

Carros Importados

No caso de compra feita fora do País, o Idec entende que se a marca fabricante atuar no mercado nacional, deve assumir a legislação do Brasil para todas as suas relações, inclusive as de consumo. Isso significa que, mesmo que o produto adquirido no exterior não seja fabricado ou vendido por aqui, a empresa tem responsabilidades e obrigações com o consumidor brasileiro.

Assim, em caso de defeito, o fornecedor deve prestar assistência, mesmo que seja necessário enviar o produto para fora do País para o reparo, caso não haja mão de obra técnica ou peças de substituição no Brasil.

Certificado

Uma garantia a mais para determinar se a oficina mecânica é de confiança é conferir se a empresa possui o certificado do IQA (Instituto da Qualidade Automotiva). Acreditado pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e criado pela  Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Sindipeças, entre outras entidades, o IQA é um indicativo de qualidade de oficina que credencia retífica de motores e centros de reparação.